17 de out de 2013

Quando


Por quanto tempo fiquei paralisada?
Quantas noites passei acordada?
Até quando me senti sufocada?

Adormeci.

Flutuava na brisa que emanava teu perfume
Me embriagando de prazer
Só em te ter por perto.

Me envolvi com o teu sorriso delicado e marcante
Ao mesmo tempo que teu abraço me acalentou
E prometeu ser só meu.

É assim que imagino quando te encontrar.


15 de out de 2013

Renovada


Estou aqui, perdida entre lençóis, papéis e canetas, tentando escrever as lembranças que me fazem olhar dentro de mim, perceber o quanto caminhei de lá pra cá, o quanto cresci e amadureci, o que precisei deixar para trás por conta de conveniências.
É um desafio olhar para o espelho e buscar respostas para tantas indagações a cerca de quem sou, de quem me tornei a partir das minhas escolhas de vida. A minha mente percorre caminhos emaranhados pelo tempo, que a levam ao mais profundo abismo do meu EU que nunca explorei, talvez por receio de enxergar o que não quis, de realmente perceber que não sou quem eu desejaria ser.
Pela primeira vez encontrei algo em mim que desconhecia, uma força capaz de me elevar de pontos onde permanecia inerte, apática e desencantada. 
Pela primeira vez sorri ao me encontrar com vontade de mudar, de que tudo fosse diferente. Me lancei numa esfera de pensamentos e desejos carregados de emoção, pronta para embarcar em sentimentos que me são desconhecidos de outrora.

"Sempre há uma nova oportunidade para sermos felizes, de voltar a amar, de sorrir para a vida, e acreditar na sinceridade dos sentimentos envolvidos."

E, assim, eu te encontrei na imensidão do que chamamos VIDA.
Não tardiamente.
Apenas no momento certo.